João Pessoa – Paraiba

Siga compartilhando:
img_20161121_065124_640x480
João Pessoa – Paraíba – Letreiro Eu Amo Jampa

João Pessoa, uma das cidades nordestinas que tivemos a oportunidade de conhecer recentemente. Lá, o sol nasce mais cedo por estar numa posição mais oriental das Américas. Antes das 5h os primeiros raios solares iluminam a cidade.

Fundada em 1585, João Pessoa é a terceira capital mais antiga do país e principal centro financeiro e econômico do estado da Paraíba. Segundo a estimativa de 2016, sua população conta com mais de 800.000 habitantes. É uma das capitais com melhor índice de qualidade de vida da região do Nordeste e uma das melhores cidades para desfrutar a aposentadoria de acordo com o censo feito pela organização International Living.

A cidade trocou de nome várias vezes antes de se chamar João Pessoa. O primeiro nome foi Nossa Senhora das Neves, fundada pelos portugueses em 5 de agosto de 1585. Em 29 de outubro do mesmo ano, em homenagem ao rei da Espanha Dom Filipe II, a cidade passou a se chamar Filipeia da Nossa Senhora das Nevespassando a posse da cidade que era de Portugal para a Espanha. Muitos anos depois, em 26 de dezembro de 1634, a cidade recebeu o nome de Frederica devido sua conquista pelos holandeses homenageando o Príncipe Frederico Henrique. Em 1 de fevereiro de 1654 passou a se chamar Parahyba sob domínio novamente dos portugueses. E, somente em 4 de setembro de 1930, a cidade passou  a se chamar João Pessoa, homenagem prestada na época ao presidente do Estado, o político paraibano João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, assassinado no mesmo ano em Recife.

No ano de 1992, a Organização das Nações Unidas (ONU) classificou-a como uma das cidades mais verdes do planeta, a capital paraibana é o destino brasileiro com maior extensão de praias urbanas próprias para banho.

O número de turistas  que procuram João Pessoa ou Jampa, popularmente chamado,  como destino de suas viagens não é a mesma comparado a outros estados do Nordeste, como: Natal, Fortaleza,Maceió, Bahia ou Pernambuco. Os próprios guias turísticos mencionaram que infelizmente a divulgação de lá ainda é pequena.

Nós mesmos fomos surpreendidos com tamanha riqueza de suas paisagens deslumbrantes, história, culinária regional e acima de tudo pelo povo acolhedor para com os visitantes de sua terra.

Vamos compartilhar algumas dicas e passeios que fizemos por lá!! Lembrando que na semana que estivemos em João Pessoa estava na fase de maré alta, impossibilitando passeios náuticos. Taí uma dica importante para quem gosta de fazer passeios nas piscinas naturais: ir na semana da fase de lua cheia ou nova para que a maré esteja baixa.

Inicialmente planejamos a viagem para João Pessoa a fim de descansar por uma semana, mas conforme fomos pesquisando sobre o local, percebemos que tinham muitos passeios que poderiam ser feitos. Então, resolvemos mudar nosso planejamento colocando o máximo de passeios para que pudéssemos conhecer melhor esta cidade. 

O voo partindo do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos – Governador André Franco Montoro até o  Aeroporto Internacional Presidente Castro Pinto (João Pessoa) tem duração aproximada de 3 horas.

Durante nossa estadia, hospedamo-nos no Laguna Praia Hotel localizado na orla da Praia de Tambaú. Felizmente, só elogios!!! Além de todos os requisitos que julgamos para que o estabelecimento seja top (atendimento, infra-estrutura, alimentação, localização) ressaltamos que houveram duas ocasiões que ficamos muito satisfeitos com o hotel: na primeira, esquecemos o celular no quarto e saímos para um passeio e ao sentirmos sua falta, tentamos ligar para o hotel para informar-lhes sobre o ocorrido porque havíamos solicitado que avisasse à camareira que poderia ser feito a limpeza do quarto, mas não conseguimos fazer contato. E, ao voltarmos do passeio, o quarto estava arrumado e o celular no mesmo lugar que deixamos! Na segunda ocasião, deixamos nossos pertences na sala da recepção do hotel para tirar foto com nosso guia de passeio e uma hora após o retorno ao quarto, meu marido percebeu que a câmera não estava dentro da mochila e imediatamente desceu para a recepção e o recepcionista havia guardado-a. Deixando-nos ainda mais com excelentes impressões somado aos ótimos comentários que tínhamos lido anteriormente sobre este hotel.

laguna-praia-hotel-joao-pessoainternet.jpg
Laguna Praia Hotel (foto da frente do hotel baixada pela internet, pois não tínhamos em nosso acervo de fotos – fonte: Booking)

A orla da Praia de Tambaú é bem frequentada por turistas e moradores e muito bem estruturada com quiosques, lojinhas, feirinhas de artesanato e restaurantes ao longo da avenida proporcionando-nos muitas opções de escolha. Fomos aconselhados pelos funcionários do hotel e pelos guias de passeios que a orla é tranquilo para caminhar em relação a assaltos, mas sempre tomando cuidado para não dar bobeira. Durante o dia e a noite, ouvíamos tocar nos quiosques muito samba, MPB e forró ao som de vozes conhecidas da região. E, somente no período noturno haviam vários artistas  dando um show à parte com apresentações de forró pé de serra e capoeira próximos a feira de artesanato central e a praça de alimentação.

PASSEIOS TURÍSTICOS

(todos contratados pela agência Quality Receptivo e com guia)

CITY TOUR EM JOÃO PESSOA

Pela manhã visitamos o Farol do Cabo Branco, a Estação Ciência, passamos pelo Parque Sólon de Lucena e em seguida fomos conhecer o Centro Histórico. É um tour rico em informações históricas e indicamos contratar um guia para acompanhar o passeio, pois os pontos turísticos que visitamos não são próximos um do outro e ainda recebemos informações que fez toda a diferença.

Farol do Cabo Branco 

A construção do farol tem a forma triangular e está localizado no topo de uma falésia situada em Cabo Branco. Para chegar até lá, a rua é interditada para entrada de veículos devido ao risco para desmoronamento e sobe-se a pé até o farol (pequena caminhada íngreme). Lá, tem um mirante com uma vista espetacular do mar e conseguimos ver a Ponta do Seixas apontada como o extremo leste do Brasil, ou mesmo, o ponto mais oriental das Américas (se distancia a uns 5.500 km da África). Bem próximo do farol tem várias lojinhas de artesanato, lembrancinhas, lanches e os famosos sorvete de caipirinha e o coco mais oriental das Américas! E, realmente a água de coco é muito bom!!!!

IMG_1231.JPG
Farol do Cabo Branco
IMG_20161121_091935198.jpg
Mirante no Farol do Cabo Branco e a Ponta de Seixas aparece ao fundo

Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes

Localizada no bairro do Altiplano em João Pessoa, foi projetada pelo renomado arquiteto Oscar Niemeyer e a obra foi inaugurada no dia 3 de julho de 2008. A Estação leva cultura, arte, ciência e tecnologia à população de forma gratuita. É um dos cartões postais da cidade.

IMG_20161121_093636152.jpg
Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Arte

     

Lagoa Solon de Lucena

O parque com seus belos jardins e lagoa, situa-se na área central de João Pessoa e passou por uma reforma em 2016. É um dos cartões postais da cidade.

lagoa-de-lucena
Lagoa Solon de Lucena (fonte: inventamarinho.blogspot.com)

 

Centro Histórico 

Foi reconhecido como patrimônio nacional do Brasil no dia 6 de dezembro de 2007, tendo sido inscrito nos Livros do Tombo Histórico e Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), sendo um dos maiores e mais importantes sítios históricos do Brasil. No passeio o turista tem a oportunidade de entrar no túnel do tempo, uma passagem das construções dos séculos XX e XXI para os séculos XVI , XVII e XVIII chegando no início de João Pessoa às margens do rio Sanhauá. O cenário é de casario e sobrados antigos, praças e construções de igrejas portuguesas no estilo barroco como o Centro Cultural de São Francisco que data seu início de 1589, o antigo Hotel Globo (primeiro hotel de luxo de João Pessoa, construído em 1929) que hoje funciona o consulado da Espanha e guarda em seu interior peças de cristais e móveis do fim do século XIX.

      O Centro Cultural de São Francisco é formado pelos: Cruzeiro, Convento,  Adro e  Igreja de São Francisco.   

centro cultural de sao fco.jpg
Centro Cultural de São Francisco (fonte: ecoviagem.uol.com.br)

 Logo que chegamos na Igreja de São Francisco, vemos uma construção de cruz (maior cruz barroco) e acima da cruz há o dizer: I.N.R.I., que significa Jesus Nazareno Rei dos Judeus, e no pedestal da cruz, vemos a formação de um círculo rodeado por pelicanos bicéfalos  entre águias de duas cabeças, estes representando o poder religioso e temporal respectivamente.

A figura do pelicano bicéfalo significava também a monogamia própria da ave, ou seja, o macho que ficava com o filhote enquanto a fêmea saia em busca de comida e só voltava se achasse, caso contrário, o macho entrava em estado de decomposição para servir de alimento aos filhotes representando Jesus, pois ele que deu a vida por nós, seus filhos!

A figura da águia de duas cabeças representava as duas coroas que Dom Filipe governava, na época, Rei da Espanha e de Portugal (União Ibérica).

IMG_20161121_101426891_HDR (1).jpg
Cruzeiro do Centro Cultural de São Francisco

Adro é o espaço aberto na frente da igreja, e antigamente o local servia para apresentações teatrais das passagens bíblicas, que separava o profano do religioso. E, há estatuetas de leões nas dois cantos superiores da parede, onde inicia o Adro representando os guardiões que guardavam o adro.

IMG_20161121_101100987[1].jpg
Adro e a Igreja de São Francisco ao fundo
IMG_20161121_101106364[1].jpg
Destaque ao leão no canto superior esquerdo da parede branca

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos da parte interna da Igreja de São Francisco

A Igreja de São Francisco é aberta ao público para visitação e as pessoas podem optar em fazer a visita com  algum guia local que irá explicar toda a história de cada canto da igreja por um valor simbólico  (R$ 6,00 por pessoa). Nós recomendamos! Ahhh ao entrar na igreja há três degraus e nosso guia Giuliano nos recomendou a fazer três pedidos enquanto subíamos os degraus!!!

IMG_20161121_111353782 (2).jpg
Hotel Globo, atualmente funciona como o consulado da Espanha
img_20161121_111620761
Vista para o Rio Sanhauá de dentro do Hotel Globo

Próximo do Hotel Globo avistamos a Igreja de São Frei Pedro Gonçalves, construída em meados de 1840.

IMG_20161121_112208202.jpg
Igreja de São Frei Pedro Gonçalves

Passamos também em frente a Praça Presidente João Pessoa ou Palácio dos 3 Poderes, que divide o espaço entre as sedes legislativo (Assembléia Legislativa), judiciário (Tribunal da Justiça) e executivo (Palácio do Governo). Este último, antigamente era o Palácio da Redenção que foi construído em 1586 pelos jesuítas e hoje, guardam os restos mortais de João Pessoa.

PÔR DO SOL NA PRAIA DO JACARÉ

A Praia do Jacaré fica na cidade de Cabedelo e assistir o pôr do sol com o Jurandy do Sax tornou-se uma tradição! Diariamente, no entardecer, o Jurandy toca seu saxofone ao som do Bolero de Ravel. Em novembro de 2016, completou mais de 6.000 apresentações entrando no Guinness Book. De canoa, ele faz um vai e vem próximo aos catamarãs, onde o público contempla a apresentação, como também, àqueles que veem pelo píer. É cobrado uma taxa (R$ 35,00 por pessoa) para quem optar pelo catamarã que inclui 1h de passeio pelo Rio Paraíba partindo às 16h da praia do Jacaré, onde há um casal com traje típico de Lampião e Maria Bonita que recepcionam os turistas. No início do passeio, um guia acompanha os turistas contando a história do Rio Paraíba, do Jurandy e outras informações históricas. Em seguida, “Lampião” e “Maria Bonita” entretêm o público dançando juntamente com uma violinista e cantora de forró. Assim que Jurandy finaliza a apresentação,o próprio sobe no catamarã para tocar algumas músicas e muito simpático ele posa para fotos com os turistas. É um passeio que não pode faltar! É de encher os olhos de lágrimas!!

img_1299
Guia local a bordo do catamarã
img_1309
“Lampião” e “Maria Bonita” dançando com os turistas ao som da violinista
img_1325
Jurandy do Sax iniciando sua apresentação e ao fundo o público assistindo do píer

img_1327

img_20161121_171104442

img_1363
Após o show do pôr do sol, o Jurandy subiu até o nosso catamarã e tocou algumas músicas antes de se apresentar no píer. Ás 18h ele tocou Ave Maria.
IMG_1379.JPG
Jurandy com Cristina Mary
IMG_1380.JPG
Jurandy com Cleber

LITORAL NORTE

Optamos em fazer o passeio para o litoral norte com bugue e foi privativo para nós dois.

À caminho do litoral norte, passamos pelas praias urbanas de Tambaú, Manaíra, Bessa e de Intermares, entre as duas últimas, fica o Projeto Guajiru, que é formado por um grupo de pesquisadores, ambientalistas, estudantes e voluntários com objetivo principal a proteção das áreas de desova de tartarugas e conversando com nosso guia foi interessante saber que no mesmo local onde a tartaruga nasce, a mesma, retorna para fazer a desova .

IMG_20161122_083950939.jpg
Caminho para entrada do Projeto Guajiru

Passamos pela cidade de Cabedelo, que significa pequeno cabo, pois é a junção do oceano e do Rio Paraíba. Há cinco anos, os cruzeiros ainda desembarcavam por aqui, mas por conta da estrutura da cidade não desembarcam mais. Sua maior renda per capita deve-se ao porto. Antigamente Cabedelo fazia parte de João Pessoa. Há cerca de  60 anos houve a emancipação da cidade.

De lá, atravessamos de balsa que liga Cabedelo a Lucena.

IMG_1392.JPG
Entrada para a balsa que liga a cidade de Cabedelo a Lucena

Em Lucena, visitamos a Igreja de Nossa Senhora da Guia. A construção também é no estilo barroco e o adro servia como cemitério.

img_1426
Entrada da Igreja Nossa Senhora da Guia

Em seguida, a caminho da Praia de Lucena passamos por uma floresta de coqueiros, uma paisagem deslumbrante que nunca vimos antes.

img_1450

IMG_20161122_101312296 (4).jpg
Plantação de coqueiros da Del Vale, a caminho da Praia de Lucena no litoral norte

Finalmente, chegamos na Praia de Lucena, uma praia mais deserta, com águas cristalinas e com uma temperatura bem quentinha. Antes de parar para almoçar, fomos também até a Barra de Miriri, onde pudemos ver o encontro do rio Miriri com o mar, permanecemos no local somente para tirar fotos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Após o almoço no Restaurante Resta Hum, descansamos um pouco apreciando a praia de Lucena naquela paisagem de calmaria como podemos ver pelas fotos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

À tarde, seguimos até a Fortaleza de Santa Catarina e no local pudemos optar em conhecer a Fortaleza com as explicações históricas de um guia. O valor de entrada foi de R$ 2,00 por pessoa e finalizando a visita demos uma gorjeta ao guia, já que não foi estipulado um valor anteriormente.

fortaleza-santa-catarina
Entrada da Fortaleza de Santa Catarina (fonte: redescobrinco.com.br)
img_1508
Casa da Pólvora – Fortaleza de Santa Catarina
img_1509
Canhão – Fortaleza de Santa Catarina
img_20161122_153802670
Casa dos soldados à esquerda. Casa do capitão à direita.
DCIM100GOPROG0010423.JPG
Nosso guia Netto Vianna

Um pouco sobre a história da Fortaleza de Santa Catarina: Em 1589 foi fundada a Fortaleza de Cabedelo, posteriormente, chamada de Fortaleza de Santa Catarina em homenagem à Dona Catarina de Portugal, Duquesa de Bragança,  que serviu para defender a capitania dos inimigos franceses e holandeses. O Forte está localizado na ponta de Cabedelo (ponto estratégico), pois os inimigos vinham pelo mar em busca de cana-de-açúcar e pau-brasil.

LITORAL SUL

As praias que visitamos no litoral sul fica no município de Conde, próximo ao centro de João Pessoa. Cenários paradisíacos e muitas vezes desertas faziam as fotos ficarem perfeitas a cada click!

Diferente das praias urbanas e do Litoral Norte, as praias do Litoral Sul dividem-se entre falésias coloridas, coqueiros, lagoas e rios. Notamos que na maioria das praias, o mar estava mais agitado justamente por ser mar aberto. Fizemos o passeio de bugue e achamos que foi a melhor opção justamente por percorrer trechos com acesso mais difícil, levando-nos a mirantes e contemplamos por mais tempo aquele cenário de cair o queixo!!

Praia da Barra de Gramame

Inicialmente nosso guia Netto nos levou ao Mirante da Barra de Gramame e pudemos apreciar aquela imensidão de águas azul esverdeadas, desertas e de frente à altas falésias. Percorremos a praia de bugue, pudemos ver e tocar as falésias com tonalidades de branco, amarelo e vermelho, as colorações dos respectivos minerais: calcário, enxofre e ferro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos do Mirante da Barra do Gramame, a Praia de Gramame e suas falésias

Praia do Amor

A praia é famosa pela existência de uma pedra furada, tal formação deve-se pelas ondas do mar, e muitos turistas tiram a clássica foto passando debaixo dela.

De acordo com nosso guia, há uma lenda que antigamente os índios da tribo Tabajara, vinham a esta praia para fazer a cerimônia de casamento. Os noivos andavam sobre os corais que significava que juntos iriam enfrentar qualquer sacrifício e no fim da cerimônia passavam por debaixo da pedra furada. E, agora, o casal que passar de mãos dadas debaixo da pedra recebe a benção da união eterna.

img_20161125_093258460

Praia de Jacumã

É a praia mais estruturada, urbanizada e movimentada, rodeada por vilas de pescadores, casas e comércio. Não ficamos muito tempo por lá, pois preferimos chegar mais cedo e permanecer por mais tempo na Praia de Coqueirinho, e já sabíamos que seria uma das mais lindas praias que veríamos.

img_20161125_094759353
Praia de Jacumã. Ao fundo, à esquerda, vemos uma área mais movimentada com quiosques e banhistas

Praia de Carapibus

Apenas observamos a Praia de Carapibus da Praia de Jacumã, pois para chegar até lá percorre-se pela beira da praia e depende da maré (maré baixa). Infelizmente, não conseguimos ir até a praia.

Praia de Coqueirinho

Antes de chegar à praia paramos no Mirante Dedo de Deus, que do alto pudemos ver o início da Praia de Coqueirinho e caminhando alguns passos para o lado esquerdo chegamos no Mirante das Tartarugas, onde conseguimos ver uma tartaruga!! Já que é um local onde elas vêm para desova. Do alto, vimos a Praia de Tabatinga, mais uma bela praia !!

Localização do Mirante Dedo de Deus

img_20161125_100559487
Mirante Dedo de Deus. Foi dado este nome, porque parece que tem um dedo apontando para Praia de Coqueirinho
img_20161125_101502290
Praia de Coqueirinho vista pelo mirante
img_20161125_101603138
Mirante das Tartarugas, onde podemos ver a Praia de Tabatinga

Chegando na Praia de Coqueirinho, há vários quiosques e ficamos no Quiosque do Marlin para almoço, recomendamos a moqueca que é a especialidade da casa!!

img_1902

DCIM100GOPROGOPR0868.JPG
Quiosque do Marlin
img_20161125_113943291
Moqueca do Quiosque do Marlin, a especialidade da casa

Enquanto nosso almoço estava sendo preparado, resolvemos descer a escada que levava à praia, para caminhar à beira mar e apreciar os vários coqueiros, falésias, cânions e os corais misturados com o mar, características essas, que foi eleita a 7ª praia mais bonita do Brasil.

Praia de Coqueirinho

Após o almoço seguimos para a Praia de Tambaba. Antes, paramos no Mirante Castelo da Princesa, tal nome devido à uma formação de cânion, que lembra a forma de um castelo.

img_20161125_134311726
Mirante Castelo da Princesa

Praia de Tambaba

É a primeira praia para a prática de naturismo na região nordestina e a segunda do Brasil, desde 1989. Até certo trecho os turistas podem frequentar e tomar banho de mar com trajes próprios  e passando por uma escada sobre as rochas, a entrada é permitida somente para os que são adeptos ao naturismo. Nesta parte da praia, há seguranças que controlam a entrada dos visitantes, pois homens não entram desacompanhados de uma mulher e há fiscais ao longo da praia, pois é proibido fotografar e filmar.

No início da praia há uma beleza incomum de um coqueiro sobre uma pedra.

img_20161125_140221590
Praia de Tambaba

Como João Pessoa é delimitada entre os estados do Rio Grande do Norte e Pernambuco,  menos de 200 km de distância, há opções de passeios com destinos para Natal, Pipa, Ilha de Itamaracá, Porto de Galinhas e Recife/Olinda.

RECIFE / OLINDA – PERNAMBUCO

Na ida para Recife a primeira parada foi no Parque Histórico Nacional dos Guararapes, em Jaboatão dos Guararapes.  É um município do estado de Pernambuco e ficou conhecida como “Berço da Pátria“, por ter sido palco da Batalha dos Guararapes, travada em dois confrontos, em 1648 e 1649. Jaboatão fica em uma posição estratégica, por estar situado entre o Porto de Suape, principal pólo de desenvolvimento do Estado, e o Recife. É cortado por importantes rodovias como as BR-101, BR-232 e a PE-007. Destaca-se por sua indústria, possuindo o terceiro maior PIB industrial de Pernambuco.

img_20161123_095958838
Parque Histórico Nacional dos Guararapes, em Jaboatão dos Guararapes

 

img_1538
Estátuas dos heróis de guerra no Parque Nacional Histórico dos Guararapes
img_20161123_101033783
Base Militar no Parque Nacional Histórico dos Guararapes
img_20161123_100455294
Nossa turma de passeio no Parque Nacional Histórico dos Guararapes. Ao fundo a Praia de Boa Viagem e Praia de Piedade

Seguindo a viagem a Recife, paramos na Casa de Cultura, que é um centro de comercialização de artesanatos, antigamente, funcionava a Casa de Detenção. Em 1973, o presídio foi desativado e os presos ainda existentes foram transferidos para o Presídio Agrícola de Itamaracá.

img_1617
Casa de Cultura, antigo presídio

Recife é conhecida pela beleza brasileira, seu nome é devido aos arrecifes de corais. O centro da cidade é cortada por dois rios: Beberibe e Capibaribe, que realça a beleza por suas paisagens.

Trafegamos na orla da Praia de Boa Viagem, considerada a praia mais famosa de Recife, tem cerca de 7km de extensão e é delimitada entre as praias de Piedade e de Pina. Ao longo da orla, há muitas placas de sinalização de risco para ataque de tubarão. Vimos frequentadores das praias tomando sol na areia e os que se arriscavam em entrar no mar não permaneciam após os arrecifes. A orla é bem estruturada com quiosques, fraldário, ciclovia, pista de cooper, quadras de vôlei e tênis, equipamentos para musculação e belos jardins.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Orla da Praia de Piedade, Boa Viagem e Pina.

No centro histórico de Recife,visitamos a Embaixada de Pernambuco dos Bonecos Gigantes de Olinda, e pagando uma taxa de R$ 10,00 por pessoa, pudemos ver a exposição de 63 bonecos dentre os 300 bonecos existentes. O turista pode apreciar tranquilamente a exposição, além de ser permitido tirar fotos e fazer filmagem. Num dado momento durante a visita, um guia explica a origem da cultura dos Bonecos Gigantes, o processo de confecção e de manipulação. Na entrada da exposição tem uma loja de venda de souvenirs.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rua do Centro Histórico e da Embaixada de Pernambuco dos Bonecos Gigantes.

Numa breve caminhada chegamos na Praça Rio Branco, conhecida também, como Marco Zero. Daqui são feitas todas as medidas oficiais de distâncias rodoviárias locais. Próximo a este ponto, está localizado o letreiro de RECIFE e uma Feira de Artesanato, podendo tirar várias fotos legais!!

Marco Zero com nossa turma e o guia Humberto
Letreiro de Recife – Pernambuco
Feira de Artesanato

A cidade de Olinda foi fundada em 1537 por Duarte Coelho Pereira, que era um militar português e primeiro Capitão Donatário da Capitania de Pernambuco. A beleza do local era tanta, principalmente do alto, pois se tinha uma ampla visão do oceano e diz a lenda que Duarte Coelho teria exclamado: “Ó linda situação para fundar uma vila” e desta forma a cidade recebeu o nome de Olinda.  Ela é considerada o segundo centro histórico do país a receber tal título após Ouro Preto em 1982.

Durante a visita por lá, vimos muitos vendedores de artesanato e igrejas. Durante a semana de Carnaval, Olinda é muito procurada e movimentada por sua tradição de desfile dos bonecos de mais de 2 metros de altura e dos foliões em suas ladeiras.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos de Olinda.

No final de nosso passeio, fomos conhecer a Igreja e Mosteiro de São Bento, é um complexo arquitetônico barroco.

O mosteiro foi inaugurado no ano de 1599, mas houve um incêndio por causa da invasão holandesa ocorrida em 1631, que destruiu boa parte da cidade, restando de lá apenas os arquivos. Em 1656, o mosteiro voltou a funcionar após ser reconstruído. Em suas partes internas há muitas peças a serem admiradas  como as paredes de cedro talhado e coberto com ouro, painéis no teto, colunas de arenito, púlpitos trabalhados, sacristia suntuosa, sanefas de talha dourada, gradis de jacarandá e pinturas da vida de São Bento.

A construção da igreja iniciou por volta de 1660 e com o incêndio foi  finalizada em 1761. O que se destaca no local é o o altar, com 14 metros de altura e  totalmente folheado a ouro. No ano de 2002, a obra foi exposta no Museu Guggenheim em Nova York. No claustro estão sepultados vários monges da abadia. A sacristia é a mais rica de Olinda por todo seu acervo, e é a única igreja que a imagem de Cristo está virado de costas porque as pessoas que na época eram mais ricas assistiam a missa no andar de cima com a imagem virada a elas e as que tinham menos poderes assistiam no piso inferior de onde viam Cristo no alto e por trás.  Nas manhãs de domingo, os próprios monges abrem as pesadas portas de jacarandá e realizam o canto gregoriano.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mosteiro de São Bento.

PIPA – RIO GRANDE DO NORTE

Em 2010, estivemos em Pipa e retornamos em novembro de 2016, durante nossa viagem a João Pessoa, onde fizemos novamente o passeio para ver os golfinhos (desta vez de lancha) na Praia do Madeiro e na Baía dos Golfinhos e sim!! Conseguimos vê-los!! A lancha consegue chegar mais perto deles, enquanto de escuna a proximidade não é igual, talvez por isso não conseguimos vê-los da primeira vez que estivemos por lá.  O passeio durou em torno de 1 hora e agendamos em seguida o passeio de quadriciclo pela empresa Pipa Off Road Ecotrip  com o guia Eduardo e escolhemos a rota que partia da Praia de Pipa até a Praia de Sibaúma, com duração de quase 2h30. Foi uma agradável experiência com gostinho de quero mais!! Vimos paisagens deslumbrantes ao longo do trajeto, na ida paramos em vários pontos para fotos e na volta fizemos a rota por dentro da mata.

Recomendaram-nos a retornar a Pipa para conhecer melhor o lugar e principalmente sua vida noturna. Com certeza voltaremos!!

img_20161124_095912036
Praia de Cacimbinhas
img_20161124_100022946
Praia de Cacimbinhas
img_20161124_104025548
Praia de Pipa
img_20161124_104039158
Praia de Pipa. Local onde começa o passeio de lancha para ver os golfinhos
img_1815
Turistas que optaram pela escuna para avistar os golfinhos

Turistas que optaram pela escuna para avistar os golfinhos

img_1812

Baía dos Golfinhos. Vimos parcialmente três golfinhos!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos do passeio de quadriciclo no percurso da Praia da Pipa a Praia de Sibaúma

Dicas de Restaurantes:

Nau

Localizado no bairro de Manaíra. É um restaurante com ambiente intimista e refinado e especializado na culinária contemporânea do mar à la carte.

Nossa opinião: Muito satisfeitos com o atendimento dos funcionários, o tempo de espera sobre o pedido do prato, o sabor da refeição e com o ambiente do salão. O preço é mais caro, mas compensa cada centavo a visita!!

Mangai

Localizado no bairro de Manaíra. É um restaurante com ambiente amplo e fino, sistema self-service especializado na culinária brasileira e regional com menu diversificado. O dono do restaurante é o mesmo que do Nau.

Nossa opinião: Surpresos com a variedade dos 80 pratos oferecidos. Lá, experimentamos também o suco de mangaba, que me fez lembrar um pouco do suco de cajá, um pouco mais cítrico. O atendimento é bom e o preço que pagamos foi similar ao valor de restaurante à la carte de mesmo nível.

Canoa dos Camarões 

Localizado na orla da Praia de Manaíra (alguns quarteirões do hotel) , é um restaurante com ambiente amplo, agradável e muito bonito. A especialidade são os peixes e frutos do mar, principalmente, camarão.

Nossa opinião: Fomos duas vezes!! Na primeira experimentamos o rodízio de camarões (13 tipos diferentes de preparação) e na segunda vez optamos por um prato à la carte. Adoramos o atendimento, o ambiente e a comida!! O preço também estava na média dos anteriores, mas valeu muito a pena!!

 

Nos dois primeiros restaurantes mencionados acima, fomos de Uber e de 99taxi, escolhemos aquele que o valor desse mais em conta. Usamos ambos aplicativos e funcionou muito bem!!

As demais refeições fizemos em quiosques próximos ao hotel, restaurantes durante o passeio e no restaurante do hotel.

Considerações Finais:

  1. Para iniciar o nosso planejamento sobre onde ficar, o que fazer e quando ir a João Pessoa procurei por sites de viagens no Google e costumo pesquisar sobre o local em site que tem comentários de viajantes como: o Trip Advisor e Férias Brasil. Neste último especificamente selecionei o nome de algumas empresas mencionadas que fazem passeios e assim fui pesquisando cada uma delas, como também, sua reputação.
  2. Recomendo muito pesquisar sobre os passeios que você gostaria de fazer e tentar entrar em contato com alguma agência de passeios receptivos como nós fizemos. Bem melhor do que alugar um carro, na nossa opinião,  pois a cada passeio tivemos um guia explicando sobre a história do local e, sem dúvida, é um diferencial para você apreciar ainda mais o passeio e conhecer sua cultura. A empresa que contratamos os passeios foi a Quality Receptivo e com exceção dos passeios para o Litoral Norte e Sul que fomos de bugue (privativo), a Quality forma pequenos grupos que não nos gerou estresse e não nos prejudicou em nada quanto aos horários de saída para os passeios.  Já, para ir a Pipa, a empresa que nos levou foi outra, parceira da Quality,mas como 0 grupo de pessoas era maior, acabou havendo atrasos.
  3. O mês de junho é a época que mais chove, porém é quando acontece a comemoração de São João! Durante todo o mês há festas com forró pé de serra.
  4. Escolha fazer a viagem na semana de maré baixa (fase de lua cheia ou nova) se quiser fazer passeios para piscinas naturais.
  5. Se quiser economizar um pouco em relação à comida, faça uma refeição mais completa no almoço ou jantar e na outra tente ficar com outras opções como petiscos. Como gostamos de experimentar pratos diferentes acabamos fazendo refeições no almoço e jantar…. hehehe
  6. Pesquisamos comentários de viajantes no site da Trip Advisor para escolher os restaurantes e levamos em consideração as informações que foram passadas pra gente pelos funcionários do hotel e pelos nossos guias. 
  7. Para desfrutar as praias urbanas (Manaíra, Tambaú, Cabo Branco) é cobrada uma taxa de aluguel para quem quiser cadeiras e guarda-sol num valor entre 10-15 reais. Não tivemos a oportunidade de passar o dia inteiro livre para aproveitar a Praia de Tambaú (de frente ao hotel que hospedamos), então apenas caminhamos na beira da praia no final da tarde.
  8. Com tudo isso, procure sempre realizar um cronograma do que irão fazer ou mesmo se irão apenas aproveitar o hotel e a praia local, pois assim, evitarão qualquer imprevisto de “perder” um dia de sua viagem. E, desejamos que tenham aproveitado de alguma forma a leitura deste post!

Nossos agradecimentos por todo o suporte, informações e atenção que fizeram nossa viagem ser tão enriquecedora e inesquecível, aos:  

Giuliano: guia no City Tour e proprietário da Quality Receptivo. Instagram Giuliano Araújo / Facebook Quality Receptivo

Netto: guia e  bugueiro nos passeios do Litoral Norte e Sul e ainda, declama grandes prosas. Instagram nettovianna / Facebook Netto Vianna

Humberto: guia no passeio para Recife/Olinda. Instagram humbertourguiadeturismo / Facebook Humbertour Cesar  

29 comentários em “João Pessoa – Paraiba

  • 14 de janeiro de 2017 em 21:21
    Permalink

    Que post completo! Quero muito conhecer João Pessoa e ver o lindo por do sol ao som do sax!

    Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 19:15
    Permalink

    Adorei o post! Está completíssimo! Nunca fui em João Pessoa, mas pretendo… o lugar parece ser espetacular!

    Resposta
    • 14 de janeiro de 2017 em 20:46
      Permalink

      Olá Flávio Borges!! O lugar é espetacular!! Há muita coisa para conhecer e fazer, com certeza irá adorar!!

      Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 11:11
    Permalink

    Um post que é um verdadeiro guia, super completo e cheio de informações preciosas. Parabéns. Quando chegar o dia de conhecer João Pessoa, já sei onde encontrar todas as informações necessárias. 😉

    Resposta
    • 14 de janeiro de 2017 em 20:59
      Permalink

      Olá itamarjapa!! Que ótimo que gostou do post!! Espero que eu possa acrescentar ainda sobre os passeios a piscinas naturais e passeio arqueológico para ficar ainda mais completo! Quem sabe antes de você ir?!

      Resposta
    • 14 de janeiro de 2017 em 20:37
      Permalink

      Olá Destinos & Afins!! Procurei detalhar bastante… Espero não ter deixado muito cansativo! Obrigada pelo comentário!!

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 23:25
    Permalink

    Olá Cristina,
    Uau! que super viagem! Vocês realmente exploraram muito a região, que delícia!
    Não conheço JP ainda mas com certeza está na minha lista!

    Resposta
    • 14 de janeiro de 2017 em 20:33
      Permalink

      Oi Camila!! Realmente queríamos aproveitar nossos dias por lá com o máximo de passeios possíveis! Mas voltaremos para conhecer as piscinas naturais 🙂 Coloque sim na sua lista de destinos!! Não irá se arrepender!!

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 19:38
    Permalink

    Estive super rápido por lá mas me encantei pelo pouco que vi Amei as dicas e quero conhecer tudinho o mais breve possível! Beijos!

    Resposta
    • 14 de janeiro de 2017 em 20:30
      Permalink

      Olá Viajante Comum!! Da próxima vez fique alguns dias para se encantar ainda mais com JP!! Muitas paisagens incríveis para tirar foto e se deliciar com a comida nordestina!!

      Resposta
    • 13 de janeiro de 2017 em 17:00
      Permalink

      Oi Jannayna Oliveira!! Pois é… JAMPA é uma abreviação carinhosa que deram a João Pessoa e fizeram até um letreiro! Obrigada pelo comentário!!

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 16:25
    Permalink

    Sempre quis conhecer a Paraíba! Seu post está tão completo e tão inspirador. Assim que for para lá, volto aqui para anotar as dicas!

    Resposta
    • 13 de janeiro de 2017 em 16:58
      Permalink

      Oi Eloah Cristina!! Obrigada pelo comentário positivo e me inspira também a escrever sobre outros destinos!!! Coloque João Pessoa na sua lista de destinos e volte a comentar pra me falar o que achou de lá!!

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 15:57
    Permalink

    Quero muito conhecer João Pessoa e claro, ver o pôr do sol na praia do Jacaré rs. Adoro Bolero de Ravel – ouvi dizer que mudaram um monte de coisa por ali, mas não sei direito. Mas acho essa abreviação “Jampa” tão feia kkkk.

    Resposta
    • 13 de janeiro de 2017 em 16:56
      Permalink

      Oi ferscafi!! Eu super recomendo que vc vá!! E assistir o Pôr do Sol na Praia do Jacaré não deve faltar. Lá, mudaram algumas coisas sim pelo que tinha lido antes de ir, mas as lojinhas e bares continuam lá e recomendo assistir pelo catamarã que o Jurandy do Sax sobe para tocar algumas músicas!! É emocionante!!

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 15:16
    Permalink

    Sou paraibana de Campina Grande amoooo JP!
    Você conseguiu transmitir em seu post tudo o que sinto, que vejo e que já vivi em Jampa, parabéns pelas fotos e pela riqueza de detalhes.
    Matei um pouco a saudade da terrinha amada.

    Abraços!

    Makenna

    Resposta
    • 14 de janeiro de 2017 em 20:55
      Permalink

      Olá Casal com rodinhas nos pés!! Muito obrigada pelo elogio e fico feliz em poder transmitir isso a você!! Continue tendo muito orgulho da sua terra!! É linda demais!!

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 13:46
    Permalink

    Nossa, que post completo! Parabéns! Sabe que João Pessoa também me surpreendeu? Fomos para lá em 2009 em um cruzeiro e eu não esperava que amaria tanto aquele lugar. Adorei o por do sol no Jacará, o centro histórico, a o Farol do Cabo Branco. Pretendo voltar. Abraços!

    Resposta
    • 13 de janeiro de 2017 em 16:51
      Permalink

      Oi Mapa na mão!! Obrigada!! Surpreendente mesmo né? Volte para conhecer melhor JP. Com certeza irá adorar ainda mais!!

      Resposta
    • 13 de janeiro de 2017 em 16:48
      Permalink

      Lulu Freitas tudo bem? Recomendo João Pessoa para todos que me perguntam e procurei deixar o post mais completo possível que até ficou mais longo do que pretendia. Fico feliz que tenha gostado das informações!! Quando for visitar deixe um comentário sobre o que achou!!

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 13:09
    Permalink

    JPA é uma graça de cidade! Vocês fizeram muita coisa por lá! Várias dicas ótimas sobre ela e sobre REC também. Cada praia mais linda que a outra e o que é a gastronomia nordestina?! 🙂

    Resposta
    • 13 de janeiro de 2017 em 16:44
      Permalink

      Oi Analuiza!! De início não imaginei que pudéssemos fazer tantos passeios, mas conforme fui pesquisando vi que tinha muita coisa para se fazer, superando minha perspectiva, o que achei ótimo! A gastronomia maravilhosa né? Obrigada pelo comentário!!

      Resposta
  • 11 de janeiro de 2017 em 11:19
    Permalink

    Nossa, que delícia essa viagem. Eu amo João Pessoa, quando fomos lá (ficamos no mesmo hotel que vocês hehehe), ficamos tão apaixonados pela cidade que ficamos pesquisando o que poderíamos fazer para trabalhar lá e se mudar.

    Resposta
    • 13 de janeiro de 2017 em 16:39
      Permalink

      A viagem para João Pessoa foi incrível mesmo!! Adoramos o hotel e pretendemos ficar lá quando voltarmos, tudo muito bom né? Realmente uma ótima cidade pra aproveitar a terceira idade, conheço algumas pessoas que falaram que os pais ou parentes se mudaram para lá.. Quem sabe vcs Tb?? Boa sorte!!

      Resposta

Deixe um comentário

Inline
Inline