Atins – Lençóis Maranhenses

Siga compartilhando:

 

Após o passeio em Caburé (mais informações no post sobre Barreirinhas ), embarcamos novamente na voadora (lancha) e navegamos até o vilarejo de Atins. Chegando lá, o serviço de traslado já nos aguardava para fazer o transporte até o Rancho do Buna, pousada onde pernoitamos por um dia.

No final da tarde deste mesmo dia, fizemos o passeio para ver o voo dos guarás. Navegamos até certo ponto no Rio Preguiça e ficamos parados aguardando a revoada destes pássaros, que  saem em busca de alimentos no início da manhã e retornam ao ninho no pôr do sol.

Este slideshow necessita de JavaScript.

É um espetáculo da natureza e como foi lindo ver todos aqueles pássaros. E o interessante foi observar também a cor da penugem, aprendemos com nosso guia que os de pena cinza são os guarás jovens e os de pena vermelha são os adultos. Essa coloração avermelhada deve ao fato deles se alimentarem de caranguejos dos mangues locais, cujas cascas possuem a cataxantina, substância derivada do caroteno.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No dia seguinte, o próprio Buna, dono da pousada levou-nos para conhecer os Grandes Lençóis, que fica localizada no Canto de Atins e combinamos retornar à pousada após o almoço.

Nós com o Buna em direção aos Grandes Lençóis

Desembarcamos de seu veículo 4×4 e caminhamos em direção aos Lençóis. Lá, éramos só nós dois andando entre as inúmeras dunas e lagoas existentes, e de vez em quando, observamos a chegada de um quadriciclo.

As lagoas tinham mais algas e as areias não eram tão branquinhas como as de Santo Amaro  e de Barreirinhas. Mas, tamanha foi a beleza daquele lugar que ficamos maravilhados por simplesmente estar lá sentindo toda a energia, calor e o vento contra nosso rosto, e ainda ficamos deslumbrados novamente com a visão da imensidão de dunas a perder de vista ao nosso redor. Foi lindo demais!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Aproximadamente uma hora depois de caminhar pelos Lençóis e tirar dezenas de fotos resolvemos pegar o caminho que levaria-nos até o Restaurante do Antônio. Neste caminho, víamos muitas cabras e foi engraçado ouvir o som que a cabra adulta fazia, pois esperávamos ouvir um Méééé, mas não, este singelo som ouvimos apenas dos filhotes, já dos adultos, foi muito engraçado! Pena que não conseguimos reproduzir o som por aqui…

Durante o percurso estávamos super ansiosos para almoçar o famoso camarão de lá e olha, um dos melhores camarões que comi na vida!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

No início da tarde, o Buna encontrou-nos no restaurante e retornamos à pousada, despedimos de algumas pessoas que fizemos amizade e de todo o pessoal da pousada. Em seguida, pegamos a voadora até Barreirinhas e depois um micro-ônibus com destino à São Luiz.

Chegamos em São Luiz à noite e pernoitamos no Hotel Brisa Mar para no dia seguinte regressar à São Paulo.

 

Nota:

Vilarejo de Atins, como poderia explicar sobre o que vivemos quando ficamos apenas um dia?

Bom, é um lugar aonde na maior parte do tempo você fica desconectado do seu celular (algo que hoje não estamos mais acostumados), pois o sinal não pega em todo lugar que você está; você sente-se acolhido por tantas pessoas que cruzam seu caminho, seja pela atenção, como também, pelas ótimas prosas que tivemos; pessoas que podem te auxiliar sem visar algo em troca e na maior parte do tempo, o próprio tempo passa tão devagar; como se a vida em Atins fosse totalmente diferente daquilo que estamos vivendo nas grandes cidades.

Á noite, meu Deus! Me assustei por muitas vezes, não por algo realmente perigoso, mas por vários sapos que vi em meu caminho…. simplesmente tenho enorme pavor à estes seres!

Mesmo assim, visitaria Atins tantas vezes que tiver a oportunidade. Um lugar realmente adorável e surpreendente, que exala a simplicidade de uma região interiorana e pequena, sem os medos e receios quando se mora numa região metropolitana.

 

Dicas:

  • Recomendamos a todos que forem visitar Atins levarem alguma reserva em dinheiro, pois nem sempre a conexão da maquininha de cartão fica disponível. As agências bancárias mais próximas ficam em Barreirinhas;
  • Para os adeptos de esportes radicais, há a possibilidade da prática de kitesurf.

 

Deixe um comentário

    • Olá Fabricio!
      Todos que vão voltam apaixonados por lá, também, não tem como não ficar com tanta beleza e diversidade!
      Obrigada pelo comentário e que ótimo que gostou do post! 😉
      Um abraço,

    • Olá Edson Jr!
      Agradeço o comentário e que bom que gostou do post! 🙂 Nosso Brasil tem muitos lugares para visitar e serem descobertos. Particularmente, Lençóis é um lugar único e especial!!
      Um abraço,

    • Olá Klecia!
      Assistir a revoada dos guarás é lindo e muito emocionante, porém, foi uma surpresa saber deste passeio em Atins, pois particularmente imaginei que havia somente se fôssemos até o Delta do Parnaíba e como decidimos conhecer apenas os Lençóis Maranhenses pensei que este passeio ficaria para uma outra viagem. Mas, ainda quero fazer o de Delta… 😉

    • Olá deprimeiraviagemblog!
      Olha tenho que confessar que foi um dos lugares mais lindos que já estive! Temos muita vontade de voltar e rever novamente as belezas de Lençóis!! Realmente uma viagem inesquecível!
      Um abraço,

  1. Lençóis Maranhenses devem ser lindos demais! Está na nossa lista faz tempo, mas inda não rolou! Adorei a experiência! E adorei o camarão também! Tá com cara de realmente delicioso! 😉

    • Olá itamarjapa!
      Nós tínhamos muita vontade de conhecer os Lençóis e demorou algum tempo para concretizar essa viagem. E, olha… de tudo que havíamos pesquisado sobre este destino foi realmente diferente da experiência de estar lá, sendo indescritível! Torço para que você conheça assim que tiver uma oportunidade! Ah, os camarões são mesmo um dos melhores que já provei, mas numa próxima tentarei experimentar o da Luzia (irmã do Antônio, dono do restaurante que fomos).
      Um abraço,

  2. Nossa que vontade de voltar para Lençois Maranhenses deu vendo as suas fotos, fui para lá quando criança e quero voltar agora adulto, quem sabe né.